13 de julho é dia de denunciar desmandos do Judiciário e pedir Lula Livre

No Dia Nacional de Mobilização contra os desmandos do TRF4 e do juiz Sergio Moro, manifestantes denunciarão as manobras jurídicas e políticas ocorridas no último domingo (8) para manter Lula preso

Fonte: CUT

systemuploadsnews08ad51ddfb9b64faa47-700x460xfit-9022e

Sexta-feira (13) tem luta em todo o Brasil. É dia de denunciar ao País inteiro, mais uma vez, a perseguição e a prisão política impostas ao ex-presidente Lula. A CUT e centenas de entidades ligadas aos movimentos sociais, partidos políticos e demais centrais sindicais vão fazer atos para marcar o Dia Nacional de Mobilização contra os desmandos do juiz Sergio Moro e dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Foram esses magistrados que, à revelia da lei, da Constituição e do Estado de Direito, mantiveram Lula preso, sequestrado, mesmo após o desembargador Rogério Favreto ter determinado a soltura (em três despachos) do ex-presidente no domingo (8).

O ato principal ocorrerá em Porto Alegre, em frente à sede do TRF4, às 18h. Nos demais estados, mobilizações e panfletagens estão programadas.

“É tarefa da CUT, neste momento, lutar para ver Lula em liberdade e na disputa eleitoral, fazendo valer o direito do povo brasileiro de votar em seu maior líder, o único capaz de resgatar os direitos sociais e trabalhistas usurpados pelo ilegítimo Michel Temer desde o golpe em 2016”, afirmou Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT, para explicar a importância da participação da Central nos atos.

“Eleger o nosso maior líder presidente da República, mais uma vez, é a maior garantia de que poderemos recuperar os direitos trabalhistas e sociais roubados pelo governo golpista e de que o Brasil poderá voltar ao caminho do crescimento, com democracia, empregos, igualdade e justiça social ”, disse Sérgio.

Segundo ele, as bases CUTistas estão convocadas a se somarem às mobilizações organizadas pelos movimentos sociais, partidos e centrais para denunciar as manobras políticas e jurídicas de Moro e dos desembargadores do TRF4.

Documento enviado pela Central para convocar a militância da CUT para o dia 13 de julho destaca que “Lula foi condenado sem que tenha cometido nenhum crime, depois foi preso, apesar de ter direito à liberdade até o processo ser julgado em última instância, e agora não foi solto por uma sequência de manobras de Moro, da PF e do TRF4, numa clara afronta ao Estado Democrático de Direito”,

“Queremos a revogação das medidas do governo golpista, como a reforma trabalhista, a retomada do crescimento com geração de emprego de qualidade, além das reformas estruturais necessárias para fortalecer a democracia e assegurar o desenvolvimento sustentável”, diz trecho do documento.

Para o secretário-geral da CUT, Lula é o único candidato capaz de colocar em prática o projeto defendido pela Central para as eleições deste ano.

“Lula foi o presidente que mais fez pelo povo brasileiro, por isso, essa mobilização não é só em defesa dele, mas em defesa do nosso País, do futuro do Brasil”, ressalta Sérgio.

“É uma luta por direitos e pela democracia, por justiça social, por um País para todos. Lula não será libertado pelos tribunais, será libertado pelas pessoas nas ruas, é nas ruas que vamos garantir a liberdade do presidente Lula.”